segunda-feira, 17 de julho de 2017

Auto Defesa: Papo Sério

Defesa Pesoal: Entre Ilusões, Mentiras e Ficções



Eu treinei minha vida toda, fiz vários cursos na área de defesa pessoal, sendo que em decorrência disso, muitos me perguntam qual é a melhor arte marcial para uma situação real, porém a grande verdade é que nenhum curso de luta  vai te deixar preparado para as ruas. Hoje apenas luta corporal não vai ser suficiente para proteger você e sua família contra criminosos, folgados, ou contra vários adversários. 

A verdade é que conhecimento de combate corpo a corpo é apenas uma das matérias dentro de várias que você precisa conhecer quando se trata de sobrevivencialismo urbano, que abrange desde a prevenção, negociação, conhecimento em arma de fogo, conhecimento em segurança residencial, segurança eletrônica, primeiros socorros, e principalmente saber como funciona a mente predatória.

Dito isso, vamos falar sobre o que observei nos cursos que conheci e o que você deve analisar ao procurar um cursos de auto defesa.

O Instrutor deve ser registrado em uma federação?

Não. Isso pode ter algum significado para artistas marciais que estão sempre participando de competições e necessitam participar de torneios com regras devidamente regulamentado. Para o combatente urbano o que interessa é o instrutor ter conhecimento e capacidade de transmitir este conhecimento, além de entender que você está buscando um treinamento diferenciado, sem regras, onde apenas a sua sobrevivência interessa. Que ele te forneça ferramentas para que você possa agir com rapidez e ferocidade em luta real. Um dos professores que tive, um dos primeiros a me ensinar o uso correto de uma faca e bastão, dava aula na garagem de sua casa. 


Professor que conta vários feitos

Um policial trabalha durante vinte, trinta anos e enfrenta todo tipo de violência que encontra nas ruas e tive o prazer de conhecer vários desse profissionais, que nas suas horas de folga conversam sobre futebol, sua famílias, igreja, etc. Eles não contam vitória sobre as coisas que enfrentaram, isso por que quem esteve em uma situação de confronto de verdade, percebe que aquilo não é um a coisa para se vangloriar ou mesmo o quão difícil é sair de uma situação ileso, em contra partida já ouvi vários professores de artes marciais contarem feitos fantásticos, de como venceram vários agressores ou criminosos armados sozinhos. Quem tem este tipo de atitude, além de serem pessoas imorais e com baixa auto-estima, ainda são culpados pela morte de seus alunos. Certa vez uma escrivã de polícia, amiga minha, me contou um caso que ela atendeu um menino de catorze anos acompanhado do pai que lhe contou que foi vítima de roubo.  Durante o momento en que a escrivã colhia as suas declarações o menino disse que deveria ter tomado a faca do criminoso, pois fazia academia de artes marciais e deveria ter usado. Minha colega explicou para ele que ele tinha feito corretamente entregando seus pertences ao criminoso, e mais tarde ela comentando o caso comigo ela me falou onde era a academia, e eu conhecia esse  local que o menino treinava, perto da recepção tem um monte de DVDs de filmes de artes marciais, onde os alunos eram insentivados a assistirem esses filmes, eobservarem as técnicas escondidas, ou seja eram os alunos eram doutrinados a ser um personagem de filmes de ação. Este tipo de professor para nós que somos combatentes de rua não tem valia.



Mestre age como um sacedorte, e a maior parte da aula é filosofia de vida 

Se você está passando por algum tipo de crise emocional e os conselhos do seu mestre sobre a vida está te ajudando, boa sorte com isso. Muitos professores compram meia dúzia de livros de auto-ajuda em sebos e ficam imitando trejeitos de falar de mestres de filmes. Isso é uma prática irresponsável, que busca unicamente transformar os seus alunos em seguidores e dependentes emocionais, sendo que o principal objetivo, que é aprender a se defender ficam em terceiro, quarto plano. Para nós que estamos buscando técnicas  para destroçar nossos oponentes nas ruas em caso de vida e morte,  ficar quarenta minutos sentado em volta de uma pessoa falando sobre como é a vida, não é interessante para nós,  combatentes urbanos. Deixemos isso para igreja ou profissionais da área de psicologia.





Professor que ensina a não levar desaforo para casa

Também  existe o professor que confunde eficiência e coragem  em combate com ensinar seus alunos a procurar encrenca para ter oportunidade de se mostrar. Esse tipo de profissional é altamente perigoso, pois além de propagar a violência gratuita, os seus alunos são fortes candidatos a acabarem mortos, pois na rua  o que interessa é quem é o mais  preparado. Exposição em combate sem sentido só levará a três caminhos: delegacia, hospital ou morte.




Seja Crítico

 Eu posso fazer vários  apontamento e citar exemplos do que eu vi e vivenciei, mas cabe a você que procura alguma coisa para usar em um momento crítico pensar com a razão e interpretar se o que você está fazendo é útil, inútil, real, fantasioso, ou se você está sendo vítima de um grande farsa, onde paga mensalidades, cursos extras e em troca recebe uma avalanche de técnicas bonitas e fracas. Pense como adulto e saia da zona de conforto: Esse golpe que estou treinando funcionária na vida real? Será verdade o que o professor disse que antigamente pessoas que treinavam até oito horas por dia conseguiam fazer feitos incríveis?
Uma vez em determinado curso, um professor me ensinou aquela famosa técnica de segurar o tambor do revólver, para que o tambor travado não conseguisse girar e, consequentemente disparar. Esse profissional nunca trabalhou nem como um segurança em uma balada, e nunca segurou um revólver na mão, só as armas de plástico que tinham na academia para treino. Ele simplesmente estava repetindo a técnica que seu professor havia lhe ensinado, e um grande detalhe, ele sempre falava em aula, que os alunos deveriam acreditar nas técnicas e reagir sim, a assaltos, pois se não acreditavam no que praticavam não deveriam estar ali. 


Conclusão

 Se você chegou até aqui, espero que tenha compreendido a minha mensagem. Gosto de todas as artes marciais mas cada uma tem um objetivo e um público. Trabalho em área de segurança há  vinte anos, e treino a 35 anos, já vi todo tipo de violência que a maioria das pessoas só verão em jornais ou em filmes. E uma coisa eu posso dizer, quando a realidade da violência chega em qualquer de suas formas, as pessoas descobrem uma dura verdade... na selva de pedra ninguém está isento de ser dilacerado pelos predadores urbanos.

Uma vez, duas pessoas estavam discutindo em um fórum de artes marciais, sendo que um deles disse que a realidade das ruas é dura e a maioria das  academias tradicionais não preparam o aluno para o mundo de hoje, não ajuda a pessoa ser um combatente de rua melhor. O outro, indignado com esse comentário, falou que queria ver quantos minutos um lutador de rua duraria numa jaula do octógono no MMA. Sinceramente, o MMA é um esporte e o atleta é treinado e preparado para aquilo: rounds, regras, resistência. Com certeza mataria qualquer pessoa não profissional que entrasse na jaula, mas quantos segundos duraria um atleta de MMA que fosse para uma luta de vida e morte contra um combatente de rua com sessenta anos de idade, por exemplo, já que este para compensar a desvantagem de força e técnica e idade iria usar equalizadores de força  (facas, bastões, caco de vidro, tijolo, arma de fogo)? Então devemos entender que nós, combatentes de rua, temos que procurar uma formação diferenciada, pois nosso objetivo não é seguir um caminho de atletismo, ou participar de algum filme, é apenar ser o nosso melhor guarda-costa, para proteger a nós e nossos entes queridos de todo tipo de violência.


                                                                                                                       Marcos A. R. Santos




Visite:



Twiter: https://twitter.com/MarsSurviver

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...